Aulas de programação criativa aos alunos russos do curso de “Post-graduation Program in Digital Art Practice”

DSC_9003-2Com início no dia 9 de Novembro e fim a 21 de Dezembro, foi-me pedido que assegurasse o apoio às aulas de “Creative Programming Practice” dos 7 alunos russos que vieram para Portugal frequentar o curso “Post-graduation Program in Digital Art Practice” em regime misto – presencial e à distância. O objectivo é ensinar programação em Processing a estudantes oriundos de cursos de Design, sem qualquer preparação nas áreas de engenharia ou matemática aplicada, mas também – e este facto não pode de forma alguma ser menosprezado – sem formação artística.

Foi adaptado o curriculum do doutoramento em Média-Arte Digital, que, por sua vez, era também uma adaptação do curriculum de engenharia informática.

A primeira dificuldade sentida teve que ver com o raciocínio algorítmico, ausente da maior parte dos estudantes, e que, só por si, merece atenção e desenvolvimento específicos.

Logo de seguida apercebi-me da dificuldade generalizada sentida com a apresentação de todos os mecanismos de programação, e entendi restringir e centrar o ensino aos conhecimentos básicos de estruturação de código, através da utilização de variáveis, condições lógicas e ciclos.

Contudo, a terceira e mais profunda dificuldade, situou-se ao nível da própria prática artística, já que os projectos criados pelos alunos assemelhavam-se mais a serviços de índole turística (tinha-se-lhes pedido que usassem a cidade de Lisboa como ponto de partida e inspiração) do que a criações artísticas, faltando-lhes a visão criadora e transformadora da arte.

Não sendo uma experiência suficientemente duradoura nem significativa do ponto de vista estatístico, ao nível do número de alunos envolvidos, serve contudo para alertar para os três pontos cruciais:

  • Algoritmia
  • Capacidade de abstracção e utilização de uma linguagem de programação
  • Capacidade artística e criadora, utilizando adequadamente as ferramentas disponíveis

No meu entender, estas três áreas deverão ser desenvolvidas para garantir que o resultado da aprendizagem não se dilua ou perca em frustrações ou uma simples cópia e adaptação de código pré-existente.


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *